De japa para japa: Mariana Ishizaka dá dicas de make para as orientais

Por Maria Cecília Prado em 09/04 | 0 |

beleza-beauty-editor-maquiagem-como-fazer-maquiagem-para-orientais-maquiadora-mariana-ishizaka-benefit-lucy-liu-sue-he-jamie-chung-abreLembra do post especial com a Juliana Rakoza, sobre maquiagem para ruivas, que fiz aqui no Beauty Editor algum tempo atrás? Pois é, achei que ficou tão legal e útil que depois fiquei pensando que seria ótimo dar sequência à ideia. Ou seja, convidar maquiadoras com biótipos específicos para contar o que elas fazem para ressaltar, de uma forma toda especial e customizada, o seu próprio gênero de beleza.

O primeiro resultado desse plano está aqui: um post caprichado criado em parceria com a Mariana Ishizaka, japonesa muito gata que é maquiadora e treinadora da Benefit no Brasil. Mari – que também é fofa e divertidíssima – adorou o convite e, em nossa conversa, revelou vários segredinhos bacanas de beleza que você vai adorar descobrir. Mas, antes de começarmos a falar de cores, técnicas e texturas, fez questão de desconstruir um mito que muita oriental ainda traz na cabeça: desenhar um côncavo na pálpebra achatadinha não é obrigação, não. “A gente não tem que ficar presa a esse conceito!”, me falou com total segurança (estávamos ao telefone, mas eu juro que podia enxergar a Mari do outro lado chacoalhando a cabeça para enfatizar a questão!). “Mais importante do que fakear volume e profundidade na pálpebra é focar em várias características bacanas que nosso tipo de rosto tem.” Quer saber quais são e como valorizá-las? Então siga adiante – e aproveite para conferir alguns looks de celebridades orientais e usar como inspiração.

1. Maçãs do rosto

beleza-beauty-editor-maquiagem-como-fazer-maquiagem-para-orientais-maquiadora-mariana-ishizaka-benefit-lucy-liu

As maçãs do rosto de quem tem herança genética oriental (japonesa, chinesa, coreana, tailandesa…), repare, são extensas e marcadinhas no alto – o zigoma, aquele osso meio arredondado que fica abaixo do olho, costuma ser bem pronunciado. Isso é um prato cheio para elaborar uma maquiagem lindíssima com destaque para o blush – olha só como a Lucy Liu, na foto acima, investiu no look e se deu bem! Mari gosta de fazer assim:

1. primeiro, marca a parte central da bochecha com um bronzant opaco ou um pó facial um pouco mais escuro que o tom natural da pele. A especialista faz questão de frisar que o melhor é usar pouco, pouquíssimo produto mesmo, pois só assim o resultado fica bem natural. “Não é um contorno para valer – na verdade, é quase um fantasma, apenas um esboço de marcação”, explica.

2. para definir a área onde aplicar o bronzant/, ela quebra aquela regra de fazer biquinho na frente do espelho e pincelar produto na parte que fica mais funda. “Prefiro ir apalpando a bochecha até encontrar a parte inferior do ossinho do zigoma – é logo abaixo dele que aplico o bronzant ou pó.” Ou seja, o posicionamento da marcação fica um pouco mais alto do que o habitual.

3. o passo seguinte é aplicar o blush propriamente dito. “Fica mais bonito se você der pinceladas mais arredondadas, imitando um rubor natural”, defende. Prefira sempre cores quentes: coral, pêssego, rosa natural, até mesmo um vermelho suave. Em termos de acabamento, os acetinados são sucesso garantido, mas o efeito cintilante não é proibido – o conselho de Mari é evitar apenas quando a bochecha, além de extensa, é muito gordinha (o brilho potencializa essa característica).

2. Pele

The ULTIMUNE Evening - SHISEIDO ULTIMUNE Launch Party

Um bom iluminador é um produto essencial para criar volumes, deixar o rosto das orientais mais anguloso e dar “um pouco mais de emoção” à maquiagem. Mari indica aplicar nos pontos clássicos mesmo: um toque abaixo do arco da sobrancelha, no C que vai do alto da maçã do rosto à têmpora, na ponte (topo) do nariz (isso ajuda, inclusive, a atenuar sua largura). Na área do C, a maquiadora prefere utilizar iluminadores de textura cremosa ou líquida. No nariz e sob a sobrancelha, escolha a textura que preferir. O visual anterior, de Sue He, demonstra como iluminar faz mesmo a expressão vibrar!

3. Olhos

beleza-beauty-editor-maquiagem-como-fazer-maquiagem-para-orientais-maquiadora-mariana-ishizaka-benefit-jamie-chung

Mari aaaaama delinear olhos puxadinhos (ela mesma, inclusive, dificilmente deixa esse truque de lado). “É um ótimo recurso para realçar o olhar sem ter que forçar um formato ocidental, sem transformar a expressão”, explica (Jamie Chung, na imagem acima, demonstra como a teoria se confirma na prática!). “Além disso, ajuda a criar um sombreado na raiz dos cílios, fazendo com que eles pareçam mais cheios – falta de cílios é um dilema de beleza eterno de quem é de origem oriental!”, diverte-se a maquiadora. Suas técnicas para chegar lá são:

1. fazer, com o olho aberto, uma marcação inicial do traço. Se, nesse primeiro momento, você fizer o traço de olho fechado, corre o risco (sem trocadilhos!) de o delineado se tornar praticamente invisível quando ele estiver aberto.

2. Definiu o desenho e a extensão do traço? Então agora sim feche o olho e preencha a área de pele que ficou livre entre o risco e a raiz dos cílios. Pode ficar tranquila – mesmo parecendo muito largo quando o olho está fechado, o traço se afina quando você o abre.

Mais truques para maquiar os olhos by Mari Chan:

1. passar curvex antes de aplicar a máscara, pois os cílios  de orientais são mais curtos e retinhos. Ela faz a modelagem em três etapas, para o desenho final ser bem arredondado: primeiro, pressiona a ponta dos cílios; depois, o meio, e para finalizar, a raiz. Então, finaliza com uma máscara de secagem rápida ou então à prova d’´água para segurar a curvatura obtida. “Esse tipo de produto é obrigatório, quase um primer para manter o formato do cílios – use mesmo que você queira aplicar um outro tipo de máscara depois.”

2. Outro recurso de beleza ótimo, tanto para reforçar os cílios como para enfatizar o formato alongado do olho: aplicar cílios postiços só no canto externo. “Levanta o olhar sem brigar com o formato natural.”

3. evitar – ou usar com cautela – tons cintilantes claros de sombra, pois no geral, dão a sensação de o olho estar inchado. “Sou mais fã de marrons quentes, opacos, que dão uma sensação de profundidade. Curto um pretinho na raiz dos cílios e também acho que azul marinho, azul cobalto e roxo escuro podem ficar bonitos e elegantes, mesmo sendo nuances frias.”

beleza-beauty-editor-maquiagem-como-fazer-maquiagem-para-orientais-maquiadora-mariana-ishizaka-benefit-jamie-chung-2

Ainda está achando que sua pálpebra precisa de um truque a mais para ficar ganhar dimensão? Então a Mari dá uma dica diferente da marcação de côncavo tradicional: passar um tom marrom leve, com acabamento mais para o acetinado, na pálpebra inteira, e estender a cor um pouquinho além da linha do côncavo, na direção da sobrancelha (você pode ver o resultado, bem lindo e sutil, no make acima, da Jamie Chung – sim, sim, a gente ama a Jamie…).

4. Boca

The ULTIMUNE Evening - SHISEIDO ULTIMUNE Launch Party

Sim, as orientais já nascem abençoadas com uma boca naturalmente cheia e bem desenhada. Para valorizar esse patrimônio de beleza, Mari indica vermelho em todas as suas variações (tomate, clássico, cereja…), vinho, nudes rosados e versões de magenta. O look da Kozue Akimoto, que traz batom vermelho cereja com acabamento de gloss, é clássico, moderno e perfeito para ela – tudo ao mesmo tempo.

beleza-beauty-editor-maquiagem-como-fazer-maquiagem-para-orientais-maquiadora-mariana-ishizaka-benefit-bingbing-fan

Por outro lado, Mariana acha meio perigoso ir para o laranja e, principalmente para o pêssego. “Pode ficar meio antigo, meio caricato”, diz. Dá uma olhadinha na foto da Bing Bing Fan acima e diga o que você pensa – ela está de batom laranjinha e fico propensa a concordar com a Mari, o make é correto mas parece um pouquinho passé…

E para fechar… sobrancelhas

beleza-beauty-editor-maquiagem-como-fazer-maquiagem-para-orientais-maquiadora-mariana-ishizaka-benefit-lucy-liu-3

Mariana fez questão de bolar um capítulo especial sobre elas porque vive sofrendo com as suas (até já falou um pouco disso nesta entrevista aqui, publicada no ano passado). “Orientais costumam ter sobrancelhas ralas e de formato indefinido, ou seja, tudo o que a gente não quer na hora de compor um make”, reclama, com conhecimento de causa. Mas, claro, ela tem ótimos segredos para driblar o problema:

1. a primeira medida é dar uma forma um pouco mais desenhada para as sobrancelhas, mesmo que se queira manter a naturalidade. “Não é para carregar na pinça, hein, gente? O importante é, sem afinar muito, dar uma ligeira arqueada no design”. Aproveite esse momento para cortar os fios também – ajuda a aumentar a definição, como prova Lucy Liu no clique que abre este bloco (sim, a gente também ama a Lucy).

2. a segunda é reforçar o desenho com um sombreado sutil. Use uma sombra marrom bem natural, sem brilho, e faça um esfumadinho delicado sob os pelos, estendendo-o um pouquinho além do final (no geral, sobrancelha de oriental é, além de tudo, curta).

3. por último, use uma cerinha, produto que dá corpo, para marcar os pelos e fixá-los no lugar.

E aí, tá bom ou quer mais? Eu adorei conhecer todas as estratégias da Mari para ficar ainda mais linda do que ela é. Mas, se você ainda tiver alguma dúvida sobre a beleza oriental, conta aqui nos comentários – a gente vai adorar responder!

 

Fotos: Image Net / divulgação

Comentários

~ comentários Comentar

  • carregando...
  • Nenhum comentário.
Ver mais 96 comentários