Blog das convidadas

Carol Lapenda e Luisa Suassuna

As convidadas 1/3

Nós nos conhecemos num curso do Liceu de Maquiagem, em São Paulo, em 2012. As nossas histórias eram parecidas: estávamos deixando nossas carreiras originais para abraçar a profissão de maquiadora (uma era administradora formada em moda e a outra psicóloga, imaginem!), nossos filhos tinham a mesma idade, ambas éramos nordestinas... Nos conectamos na hora! Mantivemos contato até que em 2014 surgiu a idéia de criar o Maquiagem para Sinceros, um instablog dinâmico que falasse de maquiagem sob a perspectiva do profissional maquiador, coisa rara na internet até então. De lá pra cá, já colhemos ótimos frutos desse trabalho, inclusive o convite para colaborarmos aqui com o Blog das Convidadas do Beauty Editor! Neste espaço vamos contar todas as novidades do mundo da beleza no Nordeste. Se você é daqui também, se jogue nas dicas! E se não é, aproveite para conhecer salões, lojas e dicas que vão além daqueles do eixo Rio-São Paulo – a gente vai adorar falar com você sobre eles.

Co wash, no poo, low poo: como limpar o cabelo de um jeito diferente

Por Carol Lapenda e Luisa Suassuna em 09/03 | 0 |

beleza-site-beauty-editor-blog-das-convidadas-carol-lapenda-cabelo-no-poo-low-poo-co-wash-tecnicas-para-lavar-os-fios-2

Não sei como é com vocês, mas sou superobservadora e, quando vejo algo bonito numa amiga, corro logo para perguntar qual o seu segredinho. Isso aconteceu mais uma vez no final do ano. Nanda, a amiga em questão estava com um cabelo tão lindo que chamou minha atenção. Mais loiro do que o habitual e mesmo assim superbrilhante e sedoso. Quando fui perguntar o que estava usando para conseguir uma cabeleira tão bonita, ela me contou que estava combinando as técnicas chamadas co wash, no poo e low poo.

Eu, que nunca havia escutado falar nelas, fui logo pedindo maiores explicações. Minha amiga então me disse que é uma estratégia para limpar os cabelos sem usar xampu, apenas com condicionador. Fiquei surpresa: como assim, lavar os cabelos com condicionador? Mas resolvi pesquisar e experimentar.

Co wash é o nome dado à técnica de pular o xampu e passar apenas condicionador na hora de lavar a cabeça. Mas não um condicionador qualquer, e sim um que apresente uma formulação bem específica. Ele não deve conter óleos minerais, petrolato, silicones, parafinas e proteínas. Para quem defende essa “filosofia” de cuidar do cabelo, esses componentes químicos são considerados vilões: podem deixar o cabelo pesado e oleoso e, com o passar do tempo, chegam a criar uma espécie de capa nos fios – uma barreira que impede os nutrientes de penetrarem. Quem adota o co wash para higienizar a cabeleira automaticamente também se encaixa na técnica do no poo, ou seja, não usa shampoo.

Existe também quem prefira alternar, lavar uma vez apenas com condicionador e outra vez usando xampu – mas, também nesse caso, o produto deve seguir uma regrinha, a de não conter sulfatos (agentes detergentes mais fortes e, por tabela, potencialmente mais irritantes). Essa técnica, por sua vez, é chamada low poo.

Fazendo toda essa pesquisa, acabei conhecendo um pouco da história sobre esse método de higienização. Os praticantes do no poo “original” não utilizam qualquer tipo de cosmético para lavar os cabelos. Eles os substituem por produtos como bicarbonato de sódio vinagre de maçã para limpeza e óleos vegetais para condicionar. Essas pessoas, na grande maioria, sao motivadas por questões ambientais. Muitas delas são veganas e pretendem, com essa atitude, não poluir o nosso planeta com produtos químicos.

Já o no poo do qual estou falando – e que vem sendo bastante adotado hoje em dia – foi criado por uma cabeleireira britânica chamada Lorraine Massey. Ela escreveu um livro chamado Curly Girl, no qual apresenta o Curly Girl Metod (basicamente, o que eu descrevi no começo do post). Apesar de ser uma técnica bastante dirigida para quem tem cabelo cacheado, é importante frisar que ela serve para qualquer tipo de fio que precise resgatar saúde e hidratação. Eu, por exemplo, tenho o cabelo liso, mas ele estava tão seco que resolvi experimentar.

Post sobre Co Wash

Comecei quando estava de férias em Porto de Galinhas, praia aqui em Pernambuco. Como a maioria das cidadezinhas litorâneas do Nordeste, Porto tem uma água um pouco salobra, que acaba deixando meu cabelo mais ressecado ainda. Por causa disso, nao senti nenhum tipo de dificuldade ao fazer co wash durante uma semana em que lavei a cabeça todos os dias. Nesse período, usei o condicionador da Yamasterol (aí acima). Sentia falta da espuma na minha cabeça e da sensação de limpeza que ela proporciona na hora em que estamos lavando os fios. Mas, salvo isso, não observei nenhum efeito estranho nem achei que o cabelo não ficou limpo o suficiente. Pelo contrário, ele se deu super bem com o Yamasterol amarelinho, tecnicamente falando. Ressalva: não gostei muito do cheiro desse produto.

Post sobre Co Wash 1

Por causa disso, quando regressei de férias saí à procura de novas opções para incrementar o processo e encontrei esta duplinha aí acima, também da Yamasterol, própria para fazer co wash e low poo. Estes itens têm um cheiro superagradável e levemente mentolado. Só que aí aconteceu o contrário: apesar de ter adorado a fragrância, achei que eles deixaram meu cabelo ressecado. Mesmo quando fiz apenas o co wash, os fios não ficaram muito hidratados. Recomecei a pesquisa de produtos e fiquei sabendo pela mesma Nanda (a amiga antenada que me apresentou ao método) que havia itens bem bacanas da marca Lola Cosméticos. Ela me indicou alguns que estou usando atualmente e que estou amando.

Foto para o post Co Wash

O xampu e o condicionador são da linha Be Happy. A máscara de hidratação que uso como complemento se chama Dream Cream. Nao posso esquecer do óleo multiuso Pinga, uma espécie de reparador de pontas que pode ser usado antes ou depois de lavar o cabelo. Comprei com o arsenal completo e posso dizer que estou amando a experiência.

Foto Blog BE

Foto Blog BE1

Enfim, pessoal, vocês devem estar se perguntando quais as minhas conclusões depois dessa investigação toda, não é? Eu conto. Sinto que meu cabelo, principalmente nas pontas, está mais hidratado; já o couro cabeludo ficou menos oleoso. A sensação geral é de mechas mais soltinhas, menos pesadas, sabem? E agora consigo passar mais dias sem lavar do que anteriormente.

Apesar de estar super satisfeita e cada dia mais por dentro da técnica, senti algumas dificuldades na hora de colocar em prática. Como por exemplo, na hora de ler os rótulos e reconhecer as substâncias que não são legais para a técnica. Não me agrada ter que sacar uma listinha cada vez que vou fazer compras (por enquanto, só assim consigo fazer a checagem dos ativos). Além do que, mesmo com a lista em mãos, não é lá a coisa mais simples do mundo identificar uma quantidade razoável de nomes científicos de difícil leitura (isso sem contar que eles são bem parecidos uns com os outros – bem fácil fazer uma confusão…). Outra dificuldade: encontrar os produtos aqui em Recife. Mas percebo que as lojas estão começando a escutar falar em no poo, low poo e co wash e talvez isso ajude a encher as prateleiras com novidades num futuro próximo.

Uma dica super legal: seguir algumas meninas que pesquisam bastante sobre todo o universo do co wash, no e low poo. Uma delas é Mariana Morena, ela conta muito das suas experiências no Youtube com o método. Vale a pena para ficar por dentro de diquinhas espertas.

O mais gostoso disso tudo é que toda essa experiência me ajudou a voltar a cuidar direito dos meus fios, estou adorando!!! E vocês, conheciam esse método? O que têm para nos contar sobre suas experiências?

Por Carol Lapenda

 

 

 

 

Comentários

~ comentário Comentar

  • carregando...
  • Nenhum comentário.
Ver mais 96 comentários