Perguntas e respostas

  • Por que os dermatologistas costumam usar dois tipos de laser diferentes, o Dye Laser e o Nd-YAG, no tratamento da rosácea e da vermelhidão facial? O que cada um deles faz de especial?

    A dermatologista Mamy Honda, da Clínica Carla Vidal, em São Paulo, explica como esses equipamentos agem. “O Dye Laser é um pouco menos profundo, pode ser aplicado no rosto todo e costuma dar ótimos resultados em vasos sanguíneos fininhos. Já o  Nd-YAG atinge uma profundidade um pouco maior e é perfeito para combater vasos que têm um diâmetro mais largo. Fazer primeiro algumas sessões do Dye Laser e então tratar os vasos mais resistentes com o Nd-YAG é uma boa alternativa para eliminar a vermelhidão persistente provocada pela rosácea e por alterações vasculares em geral.”

  • O que é a criolipólise? Para quem esse tratamento é indicado?

    A criolipólise usa ar frio para congelar e matar as células de gordura da hipoderme. Descrito assim, parece um pouco radical. Mas, desde que supervisionada por um médico (cirurgião plástico ou dermatologista), é perfeitamente segura.

    O profissional encaixa um bocal acrílico, que se assemelha a uma gaveta vazada de um dos lados e com uma tubulação do outro, na área a ser tratada (barriga ou lateral do quadril). A seguir, liga o aparelho, que faz uma sucção bem forte e ao mesmo tempo joga ar supergelado sobre a área que está sendo sugada. A sessão dura uma hora, tempo suficiente para resfriar as células gordurosas sob a pele – isso leva primeiro a seu colapso, depois a sua eliminação.

    Eficiente, o tratamento traz uma perda de até 5 cm de circunferência em um período de dois meses (os resultados começam a aparecer depois de 20 dias e vão se acentuando progressivamente). Se o efeito dura? Tudo depende da atitude da paciente após encarar a criolipólise. Se ela mantiver seus hábitos alimentares e não engordar, vai ficar satisfeita por muito tempo. Mas se usar a perda de medidas como desculpa para abusar do cardápio, aí não tem jeito – vai voltar a engordar, ainda que de forma não tão acentuada na região tratada.