Esponjas de maquiagem: como – e porque – usar estes acessórios

Por Maria Cecília em 08/10 | 4 |

Esponjas para que te quero! Na foto, modelos Océane (a laranja e também os dois tipos de retangulares), Belliz (triangulares – as que estão agrupadas em círculo) e Marco Boni (redondas).

Era uma vez um mundo onde só se fazia maquiagem com esponjas. O tempo passou, mil e um pincéis aplicadores apareceram e elas foram meio abandonadas, ficaram esquecidinhas em um canto. Mas, recentemente (nada como um dia atrás do outro!), esses acessórios de beleza foram redescobertos pelos maquiadores e pelas beauty-maníacas e voltaram a ser considerados essenciais. E, por enquanto, estão vivendo felizes  para sempre.

Brincadeirinhas à parte, parece mesmo que as esponjas de maquiagem estão atravessando um momento “princesa de contos de fada”. As marcas de beleza não param de lançar novos modelos, as mais tradicionais foram ressuscitadas, enfim, todo insider da maquiagem costuma ter uma, duas ou um kit em seu arsenal. Mas será que você precisa mesmo delas? E como e quando elas devem ser usadas? Calma que a gente já conta, e com ajuda de três feras do make: a artista global da Smashbox, Lori Taylor Davis, e os beauty artists brasileiros Roosevelt Vanini, profissional estrelado do salão C.Kamura, e Daniel Hernandez, craque por trás de editoriais, campanhas publicitárias e desfiles. Ah, em tempo: as esponjas da foto de abertura são das marcas Océane, Marco Boni e Belliz.

Triangulares, da Belliz – boas para atingir os cantinhos.

Triangulares, da Belliz – boas para atingir os cantinhos.

Tem dois fatores que colaboraram bastante para o retorno triunfal das esponjas para o make. O primeiro foi o lançamento da esponja de maquiagem Beauty Blender, alguns anos atrás. Diferente – tem desenho de gota –, bonitinha – toda cor de rosa – e muito eficiente – com formato ergonômico, é fácil de ser manipulada e encaixada em qualquer canto do rosto –, virou febre rapidinho entre famosas (Madonna ama), profissionais (Lori, por exemplo, é fanática por ela) e gente como a gente. O segundo foi a ascensão da técnica de contouring. E quem explica a ligação entre as esponjas e a brincadeira de jogar com o claro e o escuro na pele é o Roosevelt: “Nenhum outro acessório consegue esfumar de uma maneira tão natural quanto elas os limites entre um tom o outro. São perfeitas para dar acabamento depois que você terminou de contornar maxilar e têmporas e afinar as bochechas.”

Esponjas Océane: altas, fofas e com pontas arredondadas, as deste formato são bastante versáteis.

Esponjas Océane: altas, fofas e com pontas arredondadas, as deste formato são bastante versáteis.

Mas se você não é adepta do contorno, será que precisa mesmo de uma esponja? Como tudo em maquiagem (e na vida, não é mesmo?), isso é bem relativo. “Não uso nunca, só preparo a pele com pincel e com os dedos“, jura o Daniel Hernandez (e, pelo que me lembro dos vários trabalhos que já fizemos juntos, o Dani não tem mesmo o hábito de manter esponjinhas por perto). “Amo de paixão, a Beauty Blender me acompanha em todos os jobs”, diz a Lori. “Nada funciona melhor para preparar uma pele do que uma boa esponja”, concorda Roosevelt. Mas, diversidades de opinião à parte, há alguns pontos que podem  ser considerados quase lei.

1. As mais gordinhas (em gota ou formato de losango) são mais fáceis de usar porque, basicamente, são também mais fáceis de segurar. Experimente e compare: quando você tem uma esponja de maquiagem que é fina de um extremo ao outro nas mãos, precisa ficar dobrando, criando uma ponta, o encaixe parece que não acontece naturalmente. Já se está segurando uma esponja mais fofa, mas que tenha uma ponta ou cantos afilados, ela vira uma espécie de prolongamento quase orgânico dos dedos.

2. As grandes, achatadas, porém ainda assim fofas (= altas) e que apresentam uma extremidade mais pontuda (como a da MAC logo abaixo) também costumam ser bem ergonômicas e servem tanto para aplicar a base em todo o rosto como para atingir os cantinhos.

beleza-beauty-editor-mc-investiga-esponja-de-maquiagem-mac

Esponja em formato de gota achatada, da MAC: outra queridinha dos maquiadores profissionais.

3. As com ponta triangular (aquelas que parecem uma fatia de queijo) são para detalhes, para aplicação de maquiagem em pontos bem definidos – o canto do nariz é um bom exemplo.

4. As de formato diferenciado (como a laranjinha da foto de abertura) têm funções bem diversificadas. Quanto mais gordinha no corpo, mais versátil esse acessório de beleza é;  quanto mais fina e/ou pequena, melhor para ajudar a cobrir olheiras, aplicar corretivo ou base nos cantos do nariz, espalhar a base perto das sobrancelhas ou fazer o produto chegar até a raiz do cabelo sem invadir o couro cabeludo ou manchar os fios. No caso específico da estilo carimbinho, a utilidade é bem focada: dar acabamento depois de espalhar a base com outra esponja ou com pincel (serve para dar batidinhas em todo o rosto).

5. As esponjas finas e achatadas (redondas, quadradas ou retangulares) servem mais como complemento do arsenal, como arma para usar “on the go”. Eu, por exemplo, carrego uma fina e pequena encaixada em um estojo de base-pó que não veio com esponja dentro. Virou meu aplicador para retoques na hora da pressa, quando não dá tempo de pegar o pincel e fazer um espalhe mais caprichado.

6. Ainda existe outro tipo de esponja: redonda, grande e mais aerada (a Kryolan tem uma que é um ótimo exemplo, a foto está um pouquinho mais para baixo). Essas são para espalhar base no rosto todo.

7. Por fim, agora também existem esponjas de maquiagem com cabo – quase um híbrido de esponja e pincel. Há aquelas com cabo mais curto, que se parecem com um carimbo: são redondas e achatadas. Servem para dar uma última assentada na base no final do preparo da pele (vá carimbando e “empurrando” a base contra a pele para aumentar a fixação do produto e também para dar acabamento, polimento). Outra opção são as com cabo mais longo, como a da Quem Disse, Berenice? do clique abaixo. Costumam ser menores de tamanho e diâmetro e são ótimas para aplicar corretivo na pálpebra.

Esponja para corretivo Quem Disse, Berenice? e Beauty Blender, causadora do boom.

Esponja para corretivo Quem Disse, Berenice? e Beauty Blender, a causadora do boom.

Mas, afinal, em que momento da maquiagem a gente usa a esponja?

1. No início, para espalhar a base. Se o produto for fluido, pode usar a esponja sequinha mesmo. Se for mais denso, umedecer a esponja antes de começar o espalhe pode ser uma boa ideia: vai ajudar a construir a cobertura aos poucos, controlando melhor o efeito final. Coloque o produto na palma da mão, passe a esponja sobre ele e vá dando batidinhas no rosto para depositar o cosmético na pele. “O movimento certo é bater e dar uma puxadinha para o lado, bater e dar uma puxadinha para o lado”, ensina o Roosevelt. Mas não arraste a esponja com força – assim você acaba tirando a base que mal terminou de aplicar.

2. No meio do processo, para, como já mencionei antes, para levar a base até aquelas áreas mais difíceis de cobrir – cantos da orelha e do nariz, contorno da sobrancelha, limite do cabelo. Vale a mesma técnica de aplicação do item anterior.

3. Mais para o final, para aplicar o corretivo na pálpebra inferior.

4. No final mesmo, para polir a pele. Isso significa ir dando batidinhas por todo o rosto, para dar aquela assentada final na base e, caso você tenha usado pincel para criar a cobertura, também para fazer desaparecer qualquer rastro das cerdas que tenha ficado evidente.

Esponja para base da Kryolan: a de cima já foi bem usada, a de baixa está novinha, recém-saída do pacote.

Esponja para base da Kryolan: a de cima já foi bem usada, a de baixa está novinha, recém-saída do pacote.

Para terminar:

* vale passar BB Cream, CC Cream, primer ou iluminador com esponja? Até pode, mas como costumam ser produtos de beleza que proporcionam menos cobertura para a pele, aplicar com os dedos já costuma funcionar muito bem. (quer tentar assim mesmo? Tem mais um modelo que pode ajudá-la nesta missão, confira!)

* mantenha suas esponjas limpas e sequinhas. Guardou úmida, não lavou a cada semana? O risco de contaminação é grande (dicas sobre como lavar? Dá uma olhada neste post aqui!)

* esponja é melhor que pincel ou o dedo? Melhor é aquilo que deixa você mais segura na hora de criar seu make. Sou do time que usa de tudo um pouco – pincel para aplicar, dedo para retocar, esponja de maquiagem para finalizar. E sou feliz assim, acho que a minha pele fica bacana. Teste e descubra qual é a melhor fórmula para o seu ritual de beleza!

Fotos: Thomas Kremer para Beauty Editor (montagens), divulgação MAC (esponja em gota achatada) e Maria Cecília Prado (esponjas Quem Disse, Berenice e Beauty Blender e esponjas Kryolan)

Comentários

~ comentários Comentar

  • carregando...
  • Nenhum comentário.
Ver mais 96 comentários